Publicado por: edisonlsm | 11/02/2011

DCPB – Dia 7 (Bom Jesus da Lapa)

Esse foi um dia com um dos maiores trajetos da viagem até agora, 665km segundo o Google Maps. Saímos cedo de Brasília, tomamos um café num posto (lembram que eu falei que o hotel queria cobrar 25 reais? Então…) e seguimos para Bom Jesus.

Retas intermináveis...

O que mais chamou a atenção neste dia foi a estrada. Se vocês olharem em um mapa perceberam que no meio deste trajeto, entre as cidades de Posse, GO e Correntina, BA, não há NENHUM município em 224km. A única coisa que existe é um distrito minúsculo 91km antes de Correntina. E não são apenas cidades que não existem, também não existem postos de combustível, bares, absolutamente nada. A estrada é um deserto total, 250km sem civilização, apenas com soja dos lados nos primeiros kms e depois cercado apenas pela vegetação típica do cerrado.

Ponte Sta. Maria da Vitória

A região é bem plana, com alguns morros e vales mais próximos de Correntina, e a estrada possui muitas retas longas, algumas acredito que tenham passado de 50km. O bom é que a estrada é bem vazia, então a viagem rende. Andamos incríveis 525km antes do almoço.

Almoçamos em Correntina e seguimos viagem para Bom Jesus. No meio do caminho, paramos em Sta. Maria da Vitória, cidade na beira do Rio Corrente. Do outro lado do rio fica o município de São Félix do Coribe e há uma bela ponte de pedestre ligando os dois municípios.

Santuário do Bom Jesus

Chegamos em Bom Jesus da Lapa e fomos visitar o santuário. Eu fiquei admirado com a beleza do local, é uma igreja totalmente diferente das demais, afinal ela fica em uma gruta no meio de um rochedo na beira do R. São Francisco. Uma das igrejas mais bonitas que eu já vi. Ela possui uma abertura do lado que propicia uma iluminação natural durante o dia, mas também há toda uma infraestrutura interna, como iluminação e até caixas de som para a Missa. Também há uma passarela na beira do rochedo que estava fechada, e uma fonte de água potável, tudo isso em volta do rochedo que fica bem próximo ao Rio São Francisco.

Igreja Nossa Senhora da Soledade

Na verdade, não é apenas uma gruta, é um conjunto de grutas. A primeira é o santuário de Bom Jesus da Lapa. Seguindo mais para dentro do rochedo encontramos uma área ainda maior que é o santuário de Nossa Senhora da Soledade. Mais no interior do rochedo há outras grutas, de Sta. Luzia, Maria Madalena e uma 3ª que eu não lembro o nome. Infelizmente, não pudemos conhecer as menores grutas porque o acesso a elas estava fechado.

Há uma trilha que leva ao topo do rochedo, onde há 3 cruzes e uma bela vista do Rio S. Francisco e da enorme ponte da rodovia sobre ele. É uma trilha bem difícil (ao menos eu achei bem difícil) e a vista não compensa tanto assim. O que mais me chamou a atenção foram 4 saguis que estavam lá em cima brincando nas árvores e pedras e me renderam algumas fotos legais hehe

Passarela, Sagui na cruz no topo do rochedo e ponte sobre o rio S. Francisco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: