Publicado por: edisonlsm | 10/02/2011

DCPB – Dia 5 (Uberlândia, Goiânia e Trindade)

Primeiramente, desculpe pelo atraso, tive alguns problemas logísticos com a internet nesses últimos dias.

O post de hoje não tem fotos, esse dia foi tão estressante que nem teve como tirar fotos. O texto a seguir é praticamente um mero desabafo e uma maneira de aliviar a raiva.

Saímos cedo de Araxá, planejando almoçar em Ituiutaba, arrumar um hotel em Goiânia e chegar em Trindade a tempo de ir na missa das 19:30 no Santuário do Pai Eterno. Mas isso quase não foi possível.

Uberlândia é uma cidade MUITO mal sinalizada. E o muito está em destaque porque é realmente mal sinalizada. Ao chegarmos na cidade, fomos parar no anel viário, uma rodovia vazia que nos levaria para a estrada de Ituiutaba, porém precisávamos abastecer. Tivemos que entrar na cidade. E foi aí que os problemas começaram.

Logo na entrada tivemos problemas para ir para o centro (nem chegamos nele na verdade). As placas indicavam 3 direções diferentes, teve uma hora que ela fez a gente sair da estrada, retornar e pegar a mesma estrada de novo. Achamos um posto, nos informamos e fomos tentar ir para Ituiutaba.

Chegamos em uma rotatória onde havia apenas uma placa para Ituiutaba e depois ela sumia, portanto, haviam 2 opções de estrada que poderiam ir para lá. É claro que pegamos a errada, só descobrimos quando a estrada acabou uns 25km pra frente em uma vila, perdemos quase 1 hora, começou a dar um medo de não chegarmos a tempo em Trindade.

Depois fomos para Ituiutaba, almoçamos e fomos para Goiânia. Chegamos no hotel que queríamos e não tinha vaga, portamos fomos para Trindade procurar hotel por lá mesmo. Mas quem dera tivesse sido assim tão fácil…

Goiânia também é muito mal sinalizada. Chegamos na cidade pelo sul e Trindade fica a Oeste, mas passamos a cidade inteira e não havia nenhuma placa. Depois de passar a cidade inteira, encontramos a única placa pra Trindade, só que ela fica exatamente na entrada. Ou seja, é muito difícil conseguir entrar, porque a sinalização é muito em cima. Passamos, fizemos um contorno meio que proibido e caímos na Av. Perimetral Norte.

Essa perimetral deveria ser um contorno da cidade, mas é totalmente ao contrário. Ela atravessa diversos bairros, é uma rua normal de cidade, então o trânsito não flui. Além disso, haviam várias rotatórias e nenhuma delas tinha placa. O jeito foi seguir o instinto e ir perguntando nos postos de gasolina para confirmar.

Depois de problemas com essas duas cidades, chegamos em Trindade, fomos a missa e fomos procurar hotel. E aí veio outro problema.

Trindade é um grande pólo católico, a cidade quer receber romeiros, mas ela não tem infraestrutura para isso. O que nos foi indicado como o melhor hotel estava fechado e as outras opções não eram muito boas. Pegando informações com pessoas desconhecidas de noite chegamos ao que seria o 2º melhor hotel da cidade, que nem box no banheiro tinha para separar o chuveiro.

Esse foi o dia mais tumultuado da viagem. O estresse causado por Uberlândia e Goiânia que não sabem sinalizar e Trindade que deveria mas não tem estrutura turística. Mas pelo menos deu tudo certo e não precisei perder um dia para poder ir na missa no santuário do Divino Pai Eterno.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: